quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

José Sarmento

Para ver a notícia da minha Exposição "José Sarmento - Cartoons" na página online d "O Notícias da Trofa":
http://www.onoticiasdatrofa.pt/ntt/index.php/ultimas-noticias/edicao-papel/142-edicao-507/12875-jose-sarmento-apresentou-cartoons-na-trofa


"Desenhos e textos a acompanhar, com humor e ironia. Assim se pode descrever o trabalho do artista José Sarmento.
Foi na Academia Municipal da Trofa – Aquaplace – que, pela primeira vez, as obras do autor foram apresentadas no concelho.
A paixão do cartoonista remonta a 1996, altura em que começou a fazer “uma experiência gráfica em ateliês de pintura e técnica”.
Os temas são diversos, apresentados de forma “leve” e “fáceis de absorver”. “Isso é perfeitamente recetível (este tipo de trabalho) ao público em geral, desde os 10 até aos 80. Não há limite de idades”, começou por contar o cartoonista, acrescentando que, para se inspirar “tem de estar sempre atento ao que se passa, acompanhar as notícias a nível nacional e internacional” e, depois, fazer uma triagem. Neste caso, e por ser apresentada na Trofa, alguns dos trabalhos foram feitos especificamente para esta exposição, com assuntos relacionados com o concelho.
A colaborar com alguns jornais em “part time”, o técnico administrativo de produção na área da construção civil afirma não ter “nenhum tema especificamente preferido”. “Para mim o tema preferido é aquele que me dá melhor a ideia. Às vezes um tema quente é o mais apetecível e aí tem uma componente próxima com o jornalismo. É uma espécie de jornalismo de opinião que se faz com o cartoon”, explicou o artista ao NT, na inauguração da exposição.
Quanto ao futuro dos cartoonistas, e depois da recente polémica que envolveu a morte de alguns artistas do jornal Charlie Hebdo, José Sarmento diz que apenas “tem de haver respeito pela liberdade do outro, da mesma forma que nos relacionamos no dia a dia com as pessoas”. “Somos livres e os outros são livres. Não podemos infringir a liberdade do outro e o outro não pode infringir a nossa liberdade. E é apenas esse cuidado que é preciso ter com o cartoon, não podemos entrar pelo insulto, pelo desrespeito, falar das situações, criticar de forma saudável mas sem desrespeitar ninguém”, concluiu."


in "O Notícias da Trofa", por Mónica Ribeiro






Sem comentários:

Enviar um comentário