sábado, 4 de agosto de 2012

Jorge Inácio

Manuelzão. Em 1952, ele conheceu o escritor João Guimarães Rosa perto do rio São Francisco. Na ocasião, Manuelzão era capataz das boiadas do fazendeiro Chico Moreira, primo de Guimarães Rosa, e serviu-lhe como guia pelo sertão adentro, para que o escritor anotasse histórias. O fruto desse encontro foram dois importantes livros: Grande Sertão: Veredas e Corpo de Baile, esse último dividido atualmente em três partes - Noites do Sertão, Manuelzão e Miguilim e No Urubuquaquá, no Pinhém.
Manuelzão morreu em 1997, aos 92 anos, vítima de uma embolia cerebral. No centro de Andrequicé, lugar onde passou os últimos 20 anos de sua vida, foi erguido um memorial em sua homenagem, com fotos, utensílios, a coleção de canivetes e a sela usada por ele. Também pode ser encontrado um mural bordado que representa a festa de inauguração da capela, construída por Manuel para sua mãe.
 
 
 
 
 
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário